Você consegue imaginar a qualidade de um baterista que levava o mitológico Miles Davis a chegar nele e dizer apenas “Você sabe o que fazer, não preciso te dar instruções”, e isso vindo de alguém que jamais deixava de dar instruções aos músicos que o acompanhavam? Só por conta disso você já deve ter noção do quanto Jimmy Cobb era bom. E bota “BOM” nisso!

Escrevo este texto porque acabo de saber que Cobb morreu ontem, aos 91, vitimado pelo câncer. Foi o último sobrevivente do lendário sexteto de Miles que gravou, entre álbuns sensacionais, aquela que talvez seja uma maiores obras-primas de todos os tempos, Kind of Blue. E ele teve um papel fundamental nisso porque botou a sua bateria para tocar com a elegância e precisão que sempre marcaram a sua carreira.

Qualquer leigo nunca prestou a atenção que os bateristas devotaram ao estilo de Cobb em usar os pratos como elemento de condução, intercalando com ataques sutis e precisos na caixa, que nada traziam da explosão características de colegas como Elvin Jones e Max Roach. O lance é que tocar dessa forma sempre foi muito mais difícil porque era preciso dosar a dinâmica em cada tema, seguindo o que a composição pedia. E nesse ponto, Cobb era imbatível. Quando juntava com o contrabaixo igualmente elegante de Paul Chambers, aí era covardia…

A carreira de Cobb não se resumiu apenas ao trabalho com Miles. Gravou ‘trocentos’ discos – igualmente ótimos – ao lado de lendas como os saxofonistas John Coltrane, Cannonball Adderley e Joe Henderson, os trompetistas Donald Byrd e Kenny Dorham, os pianistas Wynton Kelly e Bobby Timmons, e o guitarrista Wes Montgomery, entre dezenas de outros. Até cantoras geniais e de temperamento difícil como Sarah Vaughan e Dinah Washington se transformavam em obedientes escoteiras quando soltavam os seus respectivos gorjeios com a bateria de Cobb conduzindo tudo.

Em sua homenagem, montei uma “playlist” só com músicas que tiveram a bateria de Cobb como pepitas extras. Ouça e se delicie aqui. Você não se arrepender e o espírito de Cobb vai ficar ainda mais feliz…