Anitta e o fundo do poço do marketing

Confesso que fiquei indignado com o “marketing da tatuagem anal” da Anitta. Tinha prometido não escrever mais a respeito dessa moça, pois já disse tudo o que penso a respeito dela em várias entrevistas e comentários nos mais diversos meios de comunicação, mas não deu para segurar…

Para quem não sabe, ela lançou semana passada mais uma de suas patéticas tentativas em emplacar algum sucesso, dessa vez batizada como “Tô Preocupada”, ao lado de uma tal de MC Rebecca. No clip, ela aparece toda tatuada – tatuagem de mentira, claro – e a capa do single mostra o único atributo que ambas tem a oferecer. Porque música que é bom, nada…

“Coincidentemente”, o anúncio dessa porcaria aconteceu menos de 24 horas depois de um vídeo em que Anitta é tatuada no cu ‘vazou’ (ahãn…) de sua conta no tal de OnlyFans, restrita a assinantes que pagam uma mensalidade de US$ 4,99. No vídeo, a moça grita de dor enquanto é tatuada no “fiofó” na sala da casa dela, com um de seus vassalos fazendo uma coreografia igualmente repugnante. É o ponto mais baixo na forma de fazer ‘marquetin’ de um troço pseudomusical que ela lança para o seu público de débeis mentais. Desculpem pelos termos chulos que usei acima, mas não há outra maneira de expressar tal aberração. O que vem depois disso?

Anitta é incansável na arte de retratar com exatidão a péssima realidade cultural que vive o Brasil. A mesma incensada por charlatões metidos a ‘filósofos de boteco’ que tentam justificar qualquer merda como “característica da atual geração”, sempre por intermédio de frases de autoajuda típicas de parachoque de caminhão para embasar um pseudopensamento que, de filosófico, não tem absolutamente nada. Gente que defende uma ideologia burra e que usa justificativas calhordas com a pose de quem está defendendo uma doutrina social.

A música dela continua a representar o que de pior um país (sim, com minúscula mesmo) pode oferecer às futuras gerações. Sem qualquer mérito artístico que possa, mesmo que minimamente, enriquecer culturalmente a quem quer que seja. Nada!

Lamento por você e seus filhos, que terão que conviver em uma sociedade que é a cara da ‘música’ e da ‘istratéjias’ da Anitta: culturalmente indigente e totalmente falida como civilização. Meus pêsames!

35 respostas

  1. Jobim, Chico, Milton, e por aí vai em tempos que a música era tratada como ARTE.
    Hoje Anita, Mc’s ridículos, duplas sertanejas universitárias “que porra é essa?”…. É, estamos literalmente no fundo do poço, Régis!!!

      1. Como se não bastasse, ela ainda vai pros EUA aglomerar, e agora menciona tatuagem na vagina. Não sei porque brasileiro dá moral a esse lixo, nem como pessoa ela presta.

  2. O Grande problema da Anitta é que ela se acha genial. Na boa … talento pra isso é fácil, agora dignidade pra levar pro futuro É pra quem pode. Quero ver como ela vai justificar ISSO no futuro .

  3. Sensacional Régis!
    Na verdade, penso que a defesa desses “estilos” musicais insanos, têm mais a ver com questões políticas-eitoreiras do que propriamente algum estudo social.

    De imbecil essa moça não tem nada, pode ser inculta musicalmente, mas no que se propôs a fazer (domesticar jovens imbecis) através do seu trabalho…faz bem, ascendeu financeiramente e tem uma certa fama entre os seus.

  4. Palavras muito bem colocadas e formalizadas perante a um discurso simples sobre uma pessoa medíocre.
    Também, para escrever sobre essa “cantora” não precisa conhecer muitas coisas.
    Mas, admiro seu trabalho Regis. Parabéns por esse conteúdo.

  5. Em outros tempos tínhamos Gretchen e Rita Cadillac, que eram consideradas no máximo gostosas mas um lixo cultural. Dávamos risadas de suas apresentações e tudo que era ligado à elas era de mau gosto ou ridículo. Hoje é referência pra boa parte da população. Bom saber que na história passamos por momentos de trevas e luz. Pena que estas mudanças não são tão rápidas …

  6. Um povo sem cultura é um povo capado intelectualmente. É triste saber que, na mesma terra onde surgiu Belchior, Machado de Assis, Tim Maia, Euclides da Cunha e muitos outros verdadeiros grandes artistas, agora meio que brotam essas aberrações que nem sequer tentam se parecer com música. O pior de tudo é a grande mídia dando tapinha nas costas dessa cambada, com o intuito de manter a população cada vez mais imbecil.

  7. Curiosamente, toda a cultura nacional hoje está pautada em genitália e/ou orifícios anais: Anitta, Pablo Vitar, Sonza, Simone & Simaria e tantos outros, que supervalorizam anus, pÊnis e vagina.

    Acho que esses pseudo artistas teriam muito mais a agregar à civilização se deixassem suas imundas carreiras de lado e se dedicassem a Proctologia, Urologia e Ginecologia!

  8. Belo texto.

    Não me aprofundei no assunto, mas pensava que era fake. Uma pessoa parecida com ela… Algo do tipo.

    Mas não tô surpreso pra essa fome de mídia e marketing pra idiotas.

  9. Belo texto, Régis! Cara, tu escreveu TUDO o que a maioria do povo (aqueles q pensam com o CÉREBRO e NÃO com A BUNDA) pensam sobre essa depravada.

    “Fundo do poço”?! kkkkkkkkkkk Q nada, nós estamos é num Poço sem fundo!
    Mais uma vez, belo texto!

    Um Abraço!

  10. Enquanto isso artistas novos e talentosos são engolidos por esses ridículos sertanejos, pagodeiros, rappers… E por aí vai, mas a vida continua.

  11. Estou à porta dos 50 anos e carrego uma frase na minha mente na qual ela surge quando vejo um assunto como esse: tenho receio desses jovens que serão os futuros adultos e que, espero que não, será referência para futuros jovens e adolescentes. Mundo perdido?

  12. Me mostraram isso no Whatsapp eu pensei que fosse mentira , alguma montagem sei lá, pois é ridículo demais pra ser verdade. Quão baixo uma pessoa pode descer em busca de fama ? Pseudoartistas sempre existiram , mas pelo menos antigamente tinham senso de ridículo e se davam mais ao respeito.

  13. Concordo com tudo que você disse em seu texto. Só mostra como a situação dos artistas e músicas do mainstream é deplorável. Vou ouvir Boogie Home do Billy Workman que eu ganho mais.

  14. Ainda que tardio, meu comentário tem validade (não disponho de muito tempo para comentar imbecilidades, mas este quero).
    Sabe o que me aterroriza? É ter professores de “Educação Musical” botando mirra na tal arte dessa moça. Música nenhuma, contribuindo para a saída de seres apavorantes para o cenário musical brasileiro (Todynhos & cia ilimitada), lançando modismos estúpidos e perigosos, aupando alienação. Ilusão de quem a seguir de que será “cilibridadi”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress