Meu amigo e minha amiga…

O novo álbum da Beyoncé chamado Renaissance foi “vazado”.
E como sempre acontece quando grandes artistas do meio pop lançam discos, surgiram aquela enxurrada de elogios baratos e babação de ovo, dizendo que é uma obra-prima e que a rainha finalmente voltou.
Tirando esse papo furado rídiculo, muitas pessoas – inclusive do fã clube da Beyoncé – querem ouvir a minha opinião a respeito desse novo álbum, que já adiantando, não é nada disso que as pessoas andam falando.

Pois bem, quando o disco foi “vazado”, logo de cara a assessoria da cantora fez um comunicado revelando que esse disco é o primeiro ato de uma trilogia, com um discursinho que retrata um mundo onde as pessoas podem se sentir livres, e realmente é o que foi tratado nessa primeira parte da trilogia. Que pra variar, Renaissance foi produzido por 653 produtores, um completo absurdo. Isso piora ainda mais quando se constata que em CADA canção tem um número de autores que daria pra montar uma orquestra. Algo simplesmente ridículo.

Apesar disso, a primeira música vazada, intitulada Break my soul, é uma boa canção, inclusive uma boa canção de house music, com uma conotação pop bem legal e que com certeza funcionaria bem nas pistas de danças.
Break my soul teve uma série de ideias “emprestadas” de uma canção chamada Show me love, da excelente cantora dos anos 90, Robin S.

Se você quiser saber a minha opinião sobre as outras músicas de Renaissance, assista o vídeo completo clicando no botão abaixo.