Concordo plenamente com… Wesley Safadão!

Recentemente, uma das atrizes mais bonitas da TV nos últimos anos, Erika Januza, foi vítima de mais um odioso exemplo racismo no Instagram quando uma retardada escreveu “Eu odeio a Erika Januza quem acha ela feia e curte e comenta” e “adorei que bosonaro (sic) ganhou assim ele manda mata (sic) esse (sic) negros fedidos e a @erikajanuza vai junto odeio essa mulher”. Erika reagiu dizendo-se cansada de pedir e lutar por respeito, que não tem que pedir desculpas pela cor de sua pele e que fica perdida quando tem que sair em defesa própria. Termina dizendo que não vai se curvar. Uma resposta que demonstra toda a grandeza de seu espírito.

Toda vez que vejo algo desse tipo acontecer, percebo que a experiência de povoar o planeta com seres humanos deu muito errado. Em pleno 2018 ver qualquer pessoa, famosa ou não, ser vítima de ataques raciais é algo inconcebível.

O pior é que essa gente, quando desmascarada ou chamada à Delegacia para ser indiciada, desata a chorar como bebês, pedem perdão e se dizem arrependidas. Puro teatro misturado com a sensação de que “a casa caiu”. E sempre será dessa maneira, pois não há outro meio de acabar com essa barbaridade que não seja botar esses “haters” para conviver em um presídio com “companheiros de cor” muito ‘educados’ e ‘solícitos’ com racistas.

Como vimos recentemente no período eleitoral, falar em respeito virou pura perda de tempo, assim como cor de pele – e até de camiseta – é motivo do ódio. Vide o caso do estudante de advocacia Pedro Bellintani Balleotti, cujo vídeo postado no Instagram vestindo uma camiseta do Bolsonaro e dizendo ir à votação “armado de pistola, faca, o diabo, louco para matar vagabundo com camiseta vermelha para matar logo, essa negraiada (sic) vai morrer!” acabou viralizando. Resultado: o cretino foi imediatamente demitido do escritório de advocacia onde estagiava, suspenso pela faculdade Mackenzie e alvo de sindicância que pode levá-lo à expulsão, além de ser indiciado criminalmente por discurso de ódio e porte de arma. Em entrevista, soltou o velho discursinho lacrimoso do tipo “falei uma bobagem, disse palavras totalmente equivocadas, não sabia que o vídeo tomaria tal proporção, não sou racista, violento, estou profundamente arrependido…” e o blá blá blá de sempre. Mentira! Ninguém fala umas merdas desse tipo – e ainda grava em vídeo!!! – sem realmente pensar de tal maneira. O cara agora está se cagando todo em pensar o que vai acontecer com ele…

É por isso que dou o meu apoio a… Wesley Safadão! Ficou surpreso? Pois saiba que isso nada tem a ver com a música que ele faz – que é realmente uma merda intergaláctica -, e sim com a postura que resolveu adotar depois de ele e sua mulher passarem a receber diariamente centenas de ameaças odiosas ao casal. Calma, vou explicar…

Segundo o colunista Léo Dias, do portal do jornal carioca O Dia, está rolando um enorme processo correndo em segredo de Justiça no fórum de Fortaleza, movido pelo casal em questão, contra mais cem pessoas – sim, mais de uma centena de haters das redes sociais! Toda essa gentalha desocupada e vagabunda teve seus IPs – os números de identidade de computadores e celulares – identificados e rastreados por uma empresa especializada em crimes digitais. Parece ser a maior ação judicial que se tem notícia no Brasil de uma celebridade contra imbecis que usam a internet para atacar outras pessoas com mensagens de ódio e coisas piores.

Tendo à frente das investigações a própria mãe de Safadão, dezenas haters foram identificados e pessoalmente contatados. Com a proposta de entregarem seus celulares para a polícia em troca de uma redução da pena, vários deles, apavorados com as possíveis consequências, aceitaram e propiciaram aos policiais a posterior identificação de mais algumas dezenas de pessoas, muitas delas bem próximas do círculo de amizades do artista. Todas tiveram seus sigilos telefônicos quebrados. Não só eram elas que forneciam informações da intimidade dele e da família – conversas de WhatsApp, áudios, e-mails -, como também estimulavam os haters a postarem ataques sucessivos. Segundo o mesmo Leo Dias, tem muita gente famosa envolvida: cantores, empresários, blogueiras e integrantes desse abominável universo de ‘influenciadores digitais’. Inacreditável! Com isso, a grande maioria das contas do Instagram de onde partiram os ataques foi desativada, o que deu certo alívio para Safadão e sua família, mas estes garantem que vão continuar com o processo até o final, com os devidos indiciamentos e condenações, injúria, difamação, ameaça, falsidade ideológica e até formação de quadrilha.

Wesley Safadão e sua família estão absolutamente corretos. Está na hora de acabar com pilantras e gente retardada que pensa que vale tudo no universo da impunidade da internet. Quem sabe assim cada um deixa de tornar explícito o que de pior pode oferecer ao universo ou passa a arcar com as consequências da podridão de sua alma…

17 respostas

  1. Jamais pensei que fosse ler um texto com esse título…
    Esses haters tem mais é que se fuder.

    Régis, você acha a atriz Erika Januza bonita?

  2. Sabe qual o problema? Impunidade!
    Quantas pessoas já foram presas por racismo, homofobia, etc?
    Como você disse, quando são desmascarados, eles choram e pedem perdão e continuam suas vidas.
    É um incentivo pros demais continuarem.

  3. Mais uma vez , um excelente texto, Régis. O mais triste é imaginar que estes “estudantes” serão nossos futuros advogados, médicos, professores, etc……

      1. Régis ,você acha que a internet e redes sociais criaram esses tipos de babacas , ou será que eles já existiam, só que não tinham “coragem” de manifestar suas opiniões ?

  4. Régis, bom dia!

    Você já ouviu falar no Panóptico de Bentham? Pois é, Foucault explica que a finalidade do Panóptico não era fazer com que as pessoas fossem punidas, mas que, por acharem que estavam sendo vigiadas, não tivessem a oportunidade para cometer o mal.

    Me lembrei do Panóptico pois é exatamente o que acontece na internet… As pessoas acham que não estão sendo vigiadas, por isso agem de tal forma.

    O pior é pensar que essas pessoas são assim na vida real, e não simplesmente que vestem uma fantasia porque estão na internet…
    É, o mundo está perdido mesmo.

  5. estamos vivendo tempos difíceis, com gente idiota expondo seu ponto de vista deplorável sem nenhum pudor. E é ainda pior pois agora de 2019 pra frente só tende a piorar

  6. Cara, nesse mesmo momento estou montando um processo contra um condômino que usou de grupo de “WhatsApp” para colocar em dúvida a honestidade do síndico. A galera usa e abusa, imaginando a internet ser “terra de ninguém”.
    Bom pra nós, advogados.
    Abraço!

  7. Caramba! li por acaso o artigo, e penso da mesma forma, como em sã consciência ainda discriminamos as pessoas por tom da pele e ou religião ou seja o que for, somos iguais e ponto. Devo estar vivendo na época errada, ou no mundo errado, educação, empatia e honestidade simplesmente perderam seu valor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress