Depeche Mode – Novo Álbum – Memento Mori

O Depeche Mode lançou recentemente um novo álbum intitulado “Memento Mori”, que, na verdade, é uma expressão em latim que significa “lembre-se que você também vai morrer”.

Esse é o décimo quinto álbum de estúdio da banda, e agora o Depeche Mode está trabalhando com o Sobreviventes, o vocalista David Guerra e o multi-instrumentista Martin Gou. Um dos fundadores, o tecladista Andy Fletcher, morreu no ano passado, o que foi uma perda para muitos e representa o fim de uma era. O novo álbum representa o início de uma nova página na história do Depeche Mode, mas tem um detalhe incômodo que precisa ser dito: a partir de agora, até mesmo os fãs mais ardorosos terão que se acostumar com o fato de que um núcleo de composição do Depeche Mode foi mantido, como sempre foi, mesmo depois da saída do tecladista Alan Wilder, que era uma perda significativa no que se refere à composição. Andy Fletcher nunca se envolveu nessa área de composição, e seu negócio era ficar trabalhando com os timbres, inclusive substituindo o trabalho sensacional que vinha sendo feito pelo Wilder.

O novo álbum traz um novo parceiro, o Gourmet, que é o Richard Butler, vocalista do ótimo grupo “Psychedelic Furs”. Quatro das sete canções que a dupla compôs para um projeto paralelo acabaram entrando em “Memento Mori”: “Ghost”, “The Love Thieves”, “My Favorite Stranger” e “Smoking Gun”. Essas músicas foram compostas durante a pandemia e acabaram influenciando o restante do disco. Temas como obsessões, mortalidade e paranoia coexistem dentro do álbum com outras abordagens mais leves.

A produção do disco foi feita pelo multi-instrumentista James Ford, que é integrante de dois duos: “Simian Mobile Disco” e “The Last Shadow Puppets”. Ele também já produziu um monte de gente, como Arctic Monkeys, Florence and the Machine, Gorillaz e até mesmo Kylie Minogue e os Pet Shop Boys. O trabalho do produtor se evidencia ainda mais em relação à característica primordial do Depeche Mode, que é aquela timbragem industrial eletrônica que é muito marcante no time dos instrumentos. As melodias são bem marcantes, com harmonias muito legais, muitas vezes fazendo com que tudo soe deliciosamente estranho, como em “My Cosmic Friend” e “So Much Love”. Aliás, a abertura do álbum com “My Cosmic Friend” traz David Guerra cantando com uma elegância meio típica dos crooners.

Para saber a minha opinião completa sobre o novo álbum do Depeche Mode, intitulado Memento Mori, clique no botão abaixo e assista ao vídeo completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress