Hoje é sexta-feira e, partir dessa semana, vou trazer vídeos legais para tornar seu final de semana mais agradável e divertido.

Para começar, mostro uma boa parte do acontece em um ensaio de uma banda gigante como o Megadeth. O amigo Kiko Loureiro, com sua “câmera xereta” mostra o local de ensaios e as gravações de tudo o que é tocado para que, depois, seja tratado e praticamente mixado, seja obtido um resultado perfeito, a ponto de ter condições de ser lançado como um disco ao vivo. Impressionante! Ah, infelizmente, não esta legendado em Português, ou seja, você vai ter que acionar as legendas em inglês para entender melhor:

 

Depois, trago dois momentos do saudoso Tim Maia em filmagens ao vivo. A primeira é uma gravação de 1971 nos estúdios da extinta TV Tupi, na qual ele até toca bateria no final. Detalhe: fiquei com a nítida impressão que o percussionista que o acompanha aqui é o Naná Vasconcelos… Será? A outra é de 1974, em um show em local desconhecido, e traz uma raridade: a inclusão de “Imunização Racional” junto ao seu repertório normal da época – “Réu Confesso”, “Primavera”, “Azul da Cor do Mar” -, algo que ele jamais voltou a fazer posteriormente. Deve ter sido gravado enquanto Tim ainda não tinha pirado de vez com aquela seita maluca. Na boa: mostre isso aos seus filhos!

 

 

E já que comecei trazendo aqui raridades gravadas ao vivo, que tal isto: a única gravação em vídeo que existe do Black Sabbath na época em que eles estavam excursionando para promover o sensacional álbum Sabotage? Foi ao ar em setembro de 1975 dentro do celebrado programa de TV americano Don Kirshner’s Rock Concert. Veja como a banda estava tinindo ao vivo, como Ozzy estava cantando em tons altíssimos sem desafinar e por que Bill Ward sempre foi uma de minhas maiores influências com baterista. Minha e de 97,4% de todos os bateras que se meteram a tocar rock pesado ao redor do planeta. O cara era um animal! Ah, e preste atenção na reação de algumas pessoas na plateia. Possessão pura!

 

Na sequência, vem um divertido “mashup” – termo usado para designar a mistura de duas canções diferentes em uma só – feito pelo Landau, um dos irmãos do vocalista do Jota Quest, Rogério Flausino. Ele tem uma carreira solo interessante e divertida, mas se superou ao colocar a letra e a vocalização de “Admirável Gado Novo”, do Zé Ramalho, em cima de “Back in Black”, do AC/DC. Ficou muito bom!

 

Para terminar, dou a mão à palmatória. Sempre fui um dos maiores críticos do repertório que Chitãozinho & Xororó costumam apresentar em seus shows e álbuns, mas aqui eles mandaram muito bem. Ouça e veja que sublime é a versão que eles fizeram para “Correnteza”, composta por Tom Jobim e o genial violonista Luiz Bonfá, que faz parte do disco da dupla intitulado Tom do Sertão. Que lindeza!

 

Bom final de semana e saúde para você, sua família e amigos!