Dicas para começar bem a semana: homenagem a David Bowie, Tears for Fears e Billy Joel antes da fama e coreografias inacreditáveis de um maluco!

tributo a Bowie

Como ando muito preocupado com o bem estar das pessoas no meio dessa pandemia, o tio Regis aqui resolveu trazer algumas vídeos e sons muito interessantes para que você possa esquecer um pouco das agruras da vida durante a semana e se divertir em alto astral, sentado em um local bem confortável e tranquilo, ao lado de seu amor, de seus filhos ou de quem quer que seja.

Começa a edição desta pequena fonte de prazeres musicais e visuais com um belíssimo trabalho em conjunto do grupo 2ManyDJs – uma dupla belga especializada em música eletrônica – com o diretor Wim Reygaert, visando homenagear de maneira extraordinária o mitológico David Bowie. Enquanto o duo criou uma inacreditável mixagem de mais de 30 canções do cantor inglês de uma hora de duração, Reygaert criou um vídeo para isto, contando a vida e a obra do genial artista com a presença de verdadeiros sósias do cara e recriando cenas que mostrar as emblemáticas capas de seus álbuns. Dica importante: assista tudo até o final. Você não vai se arrepender…

https://www.youtube.com/watch?v=n3W3Uyfxfdw

 

Na sequência, você tem uma raríssima aparição televisa em 1981 do obscuro grupo new wave inglês Graduate. Antes que você pergunte “mas que porra é essa?”, preste atenção e reconheça que o vocalista/guitarrista da banda é o Roland Orzabal e o baixista é um tal de Curt Smith. Sim, eles mesmos que, algum tempo depois, formariam o ótimo Tears for Fears. Divertidíssimo!

 

 

 

E já que estamos revisitando o passado nebuloso e pouquíssimo conhecido de grandes astros, aqui vai uma dica para a “velharada”, grupo do qual o tio Regis aqui faz parte: aqui está na íntegra o obscuríssimo disco do duo americano Attila, só com teclados e bateria, lançado em 1970. Detalhe: o tecladista – que também fazia os baixos no órgão, meio que na linha que o Ray Manzarek fazia no The Doors – era ninguém menos que… Billy Joel! O duo encerrou suas atividades quando o baterista Jon Small descobriu que sua mulher o traía com… Joel! Ouça e veja que legal e maluco era o som dos caras:

 

Confesso que não sou nada chegado a danças e coreografias, mas não tem como a gente não ‘pagar pau’ para o americano Robert Muraine. O que ele faz nessa compilação de seus melhores momentos e em uma de suas recentes apresentações é de deixar qualquer um de boca aberta…

 

 

Boa semana e saúde para você, sua família e seus amigos!

6 respostas

  1. Espetacular homenagem a David Bowie, várias músicas arrepiantes, fiquei com vontade de conhecer melhor sua carreira, discos e queria que me indicasse qual seria a melhor biografia desse artista revolucionário. Faz tempo que não deixo um comentário. O último foi sobre Eric Clapton, que não era um de meus preferidos, mas hoje, depois de baixar o show com Steve Winwood, se tornou mais importante e faz jus ao segundo lugar na lista de melhores guitarristas. Continuo curioso sobre sua opinião a respeito de uma banda que se tornou minha preferida, Carpenters, assim como a cantora que é maravilhosa e única. Você é aquele irmão que gostaria de ter, nunca deixo de acompanhar tudo o que diz via youtube, ou escreve, pois não conheço alguém mais conhecedor sobre música e arte.

  2. Régis, muito interessante este texto junto com os vídeos, e me surpreende vc gostar dos Tears for Fears (eu gosto tb), mas eu achava que seria o típico grupo que vc acharia um pé no saco, mas me surpreendi positivamente, abraços!

  3. Muito legal, Regis .Mas gostaria de ver um artigo ou video falando do grande produtor Martin Birsch, que falaceu hoje. Era um gênio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress