IGOR PRADO & JUST GROOVE

21 – SESC Belenzinho – São Paulo

Um dos melhores guitarristas da nova safra do blues nacional, Igor colheu os louros do sucesso internacional de seu excelente álbum Way Down South, lançado nos EUA pela gravadora Delta Groove e que recebeu muitos elogios da crítica especializada. Só que nessa apresentação a tônica será a mistura de blues, soul e funk (o verdadeiro!) com as sonoridades brasileiras ao lado de sua ótima banda de apoio, além de bem sacadas releituras de temas de B.B. King, Jorge Ben, Bezerra da Silva e até Justin Timberlake. Vá ao show e entenda o motivo de tanta badalação em cima do guitarrista!

 

AZYMUTH

21 – SESC Bom Retiro – São Paulo

Uma das maiores bandas brasileiras de todos os tempos, com sólida carreira internacional e tudo, o trio volta aos palcos desfalcado de um de seus mais emblemáticos integrantes – o falecido tecladista Jose Roberto Bertrami, agora substituído por Kiko Continentino -, mas deve deixar de mostrar a excelência de sua mistura sensacional de samba, soul, funk e jazz. Outro espetáculo imperdível!

 

IZZY GORDON

21 – SESC Ipiranga – São Paulo

Uma das mais criminosamente subestimadas cantoras doas últimas décadas, ela lançou há tempos um disco bastante interessante, Pra Vida Inteira, com uma pegada samba/jazz/soul, mas nessa apresentação ela vai prestar um merecido e talentoso tributo às grandes damas do jazz, como Ella Fitzgerald, Billie Holiday, Nina Simone, Sarah Vaughan e várias outras. Não perca, pois você irá se surpreender!

 

RÔMULO FRÓES

22 – SESC Ipiranga – São Paulo

Figura carimbada na cena da música brasileira underground, o cantor/compositor nunca primou pela afinação na hora de colocar sua voz grave em qualquer microfone, o que sempre tornou suas apresentações uma experiência próxima do suplício. Menos mal que ele faça uso de harmonias e melodias fora dos padrões mais convencionais. Dá para arriscar pelo fato de ele apresentar as canções do álbum Transa, de Caetano veloso. Quem sabe ele não passou um pouco de mel nas amígdalas?

 

JOHNNY HOOKER

22 e 23 – SESC Belenzinho – São Paulo

Seus discos são pretensiosos e chatos pra cacete, sua tentativa em imitar o timbre de voz da Cássia Eller é irritante e… e… Quer saber? Hooker é daqueles caras que julgam que “esquisitice” é o caminho mais fácil para a adoração de baba-ovos – vide seu dois álbuns lançados até agora, os terríveis e afetados Eu Vou Fazer uma Macumba Pra Te Amarrar, Maldito! e Coração Nem a pau que eu indicaria um show desse sujeito para quem quer se divertir e ouvir um som bacana. Vá fazer outra coisa!

 

BIXIGA70

24 – SESC Interlagos – São Paulo

Outro show imperdível, já que se trata de um dos grupos brasileiros mais legais da atualidade. Os caras resgataram a sonoridade afrobeat de artistas africanos dos anos 70 – que misturavam jazz, rock e a típica sonoridade daquele continente – e acrescentaram um “molho” brasileiro estonteante. Certamente tocarão temas de todos os seus álbuns, incluindo o mais recente, Quebra-Cabeça.  Showzaço!

 

CEUMAR

24 e 25 – SESC Pompéia – São Paulo

A subestimada cantora vai dar uma revisitada no repertório de seus discos anteriores e mostrar algumas composições de seu mais recente álbum, Espiral. O que pode acontecer é uma incógnita, mas a boa voz de Ceumar compensa qualquer deslize em termos de repertório.