BELO

27 – Carioca Club – São Paulo

Sempre penso que anos atrás ele passou uma temporada na cadeia pelos motivos errados: quem ‘cantava’ as ‘músicas’ que o sujeito mostrava nos shows não merecia outra coisa senão passar um bom tempo tomando água de caneca e tendo duas horas de sol por dia. Uma verdadeira aberração musical para quem gosta de samba, Belo continua impunemente nos dias de hoje a personificar o que de pior aquele troço que ficou conhecido como “pagode propiciou”. Suas péssimas canções fazem jus às interpretações que costuma cometer em cima dos palcos, o que torna cada um de seus shows uma espécie de castigo sonoro. Fuja disso!

 

ELOMAR

27 – Teatro Castro Alves – Salvador

Um dos artistas mais cultuados por um pequeno séquito de fanáticos, o cantador apresenta agora um concerto intitulado Rancharia com Velhos Amigos Tropeiros, prometendo trazer aos palcos alguns de seus companheiros de cantoria dos tempos em que gravou o lendário álbum Na Quadrada das Águas Perdidas, lançado originalmente em 1979. Ele estará acompanhado de um jovem e talentoso violonista, o seu filho João Omar. Se esta for a sua ‘praia’, vá fundo…

 

AVA ROCHA

27 – Auditório Ibirapuera – São Paulo

Ex-atriz do grupo de teatro capitaneado por Zé Celso Martinez Corrêa, esta cantora já está em seu terceiro álbum, Trança, lançado este ano por intermédio daqueles projetos Natura Musical, um clubinho fechado entre amigos que pouco acrescenta ao combalido cenário da “MPB elegante”. Sua voz horrível e desafinada certamente será perfeita para provocar um desarranjo auditivo tão intenso que você não conseguirá sequer prestar atenção às músicas pavorosas que ela irá apresentar. Show perfeito para masoquistas conscientes.

 

SILVA

27 – Cine Joia – São Paulo

Depois de lançar um quarto álbum interessante – Júpiter, em 2015 – e tentar dar um golpe de popularidade midiático ao revisitar o repertório de Marisa Monte com uma abordagem bem diferente das canções originais no disco seguinte, o fraquíssimo Silva canta Marisa (2016), ele reaparece insistindo novamente no erro de tentar aumentar a amplitude de seu público a qualquer preço com o álbum Brasileiro, lançado em maio passado. Nem que tenha que cantar de modo cada vez mais ‘adocicado’ e fazer duetos com Anitta ou quem mais for famosa nos dias atuais. Que decepção…

 

VALESKA POPZUDA & TATI QUEBRA-BARRACO

27 – Circo Voador – Rio de Janeiro

Nem vou comentar o que a união… ahnn… ‘musical’ dessas duas ‘princesas’ pode causar em estômagos mais sensíveis. Nesse dia, é melhor até sair do Rio. Não apenas da cidade, mas do Estado…

 

VITROLA SINTÉTICA

27 – SESC Belenzinho – São Paulo

A banda até que tem um álbum bem interessante, Sintético (2015), o terceiro em sua discografia espalhada por uma carreira que já dura uma década. É justamente para comemorar o 10º aniversário de atividades que o grupo paulistano leva o seu som ao palco e aproveita para lançar o EP recentemente gravado com a cantora argentina Marilina Bertoldi, com duas faixas horrivelmente chorosas. Como vai rolar a participação da moça na apresentação e mais a presença do chatíssimo e desafinado Helio Flanders, do Vanguart, a probabilidade de que tudo vire um festival de lamúrias pseudopoéticas é imensa. Vá preparado!

 

RASHID

27 – SESC Belenzinho – São Paulo

Ele é um dos melhores nomes da nova geração do hip hop nacional. Lançando o repertório de seu mais recente álbum, Crise, e mais as canções que fizeram grande sucesso na comunidade do gênero incluídas em sua mixtape Confundindo Sábios, ele vai na contramão de seus pares nesta apresentação. Nada de cantar em cima de playbacks: Rashid vai levar uma banda inteira para o palco. Para quem deseja saber como anda os meandros do rap nacional, é daqueles shows a não se perder.

 

DAVID SILVAH

28 – SESC Belenzinho – São Paulo

O cantor/compositor/arranjador/violonista paulistano foi integrante de um grupo chamado Red, que chegou a ser um dos indicados ao antigo Prêmio Tim e foi a banda de abertura daquelas terríveis apresentações que a doidaça Lauryn Hill fez pelo Brasil em 2010. Agora em carreira solo, ele vai mostrar as canções do álbum lançado no ano passado, Gratidão, e certamente será muito bem acompanhado por uma boa banda de apoio – com destaque para o cultuado Bocato no trombone -, para dar o seu recado sonoro que mistura samba e soul. Vale a pena arriscar…

 

VOLKANA

28 – SESC Belenzinho – São Paulo

Quase três décadas depois de seu lançamento, o primeiro LP do grupo feminino de heavy metal, batizado como First e produzido pelo saudoso Carlos Eduardo Miranda, vai receber uma edição em CD, o que será motivo para este show com dois integrantes da formação da época – a vocalista Marielle Loyola e o baterista Sergio Facci -, mais as guitarristas Karen Ramos e Isa Nielsen, juntamente com a baixista Priscila Tiemi. Pode ser bem interessante ou constrangedor. Espero que a primeira hipótese se realize…

 

PAULA LIMA

28 – Auditório Ibirapuera – São Paulo

Sempre competente na hora de misturar soul musicr&b e música brasileira em suas canções, Paula vai agora colocar sua bela voz acompanhada apenas do pianista Naldo Ramos em um repertório que revisita seu próprio repertório e também canções de Ella Fitzgerald, Chico Buarque, Roberto Carlos e João Donato que tiveram importância na construção de seus alicerces musicais. Boa pedida!

 

4ª FESTIVAL BB SEGUROS DE BLUES E JAZZ

28 – Parque Villa-Lobos – São Paulo

Com entrada gratuita, este é um evento perfeito para você e sua família ampliarem seus campos musicais e culturais de uma forma em geral. Além de atividades especialmente programadas para a criançada, os “filés” serão musicais, já que os shows do guitarrista Al Di Meola – que vai mostrar sua faceta mais acústica por conta da turnê que vem promovendo seu mais recente trabalho, Opus, lançado em fevereiro – e do veterano bluesman americano Lil’ Jimmy Reed são imperdíveis, assim como a apresentação instrumental do Pepeu Gomes, que vai mostrar vários temas do álbum Alto da Silveira. Não garanto que os shows do saxofonista Leo Gandelman – mostrando um repertório só com canções dos Beatles, o que é um perigo pela presença de um mísero sax na parada –, do grupo O Bando (não a banda dos anos 60 e sim uma garotada mineira da atualidade) tocando temas do Jimi Hendrix e dos combos Ladies Instrumental Band e BB Seguros Jazz Band funcionem, mas aí é por sua conta…

 

JOÃO SUPLICY TRIO

28 – Unibes Cultural – São Paulo

Dono de um carisma próximo do zero e incapaz de produzir alguma canção que não seja medíocre, o irmão do Supla agora inventou um trio para mostrar o fraquíssimo repertório de seu mais recente disco, “João”, lançado no ano passado. Para piorar, ele ainda ameaça fazer ‘homenagens’ a David Bowie e Benito de Paula no show, o que deixa tudo com cara de “roubada master plus”. Ele deve ser um sujeito gente fina, mas na música não dá para encarar…

 

BANDA DE PAU E CORDA

28 – Cine Theatro Brasil – Belo Horizonte

Comemorando inacreditáveis 45 anos de carreira, o veterano grupo pernambucano ainda consegue montar um “passeio sonoro” pelas inúmeras sonoridades da música regional brasileira, repletas de xotes, baiões,  cirandas, maracatus, frevos, modinhas, e o que mais aparecer pela frente. É daquelas apresentações extremamente didáticas para quem anda cansado da música popular descartável.

 

MARILIA MENDONÇA

28 – Credicard Hall – São Paulo

De tempos em tempos nossos sentidos são assaltados por porcarias musicais que parecem ter sido criadas por alguns produtores tão sádicos quanto oportunistas. Veja o caso desta moça cuja voz esganiçada é um dos troços mais pavorosos a surgir na música brasileira em muitas décadas, sempre a serviço de canções tão cretinas que chega a provocar dores insuportáveis nos ouvidos. Não é à toa que um de seus hits tem como título “Hoje Eu Tô Terrível”. Não é só ‘hoje’ não, minha filha…

 

WESLEY SAFADÃO

28 – Espaço das Américas – São Paulo

Nem preciso comentar, né? De uma coisa você pode ter certeza: já sei onde NÃO estarei…

 

ALCEU VALENÇA & ELBA RAMALHO

28 – Fundição Progresso – Rio de Janeiro

O evento é anunciado como um “arraiá”, mas a festa junina é menos importante que a união destes veteranos da música nordestina. Não importa o que eles irão apresentar juntos. Vai ser bem divertido para quem curte as “festas de São João”!

 

BARÃO VERMELHO

28 – SESC Parque Dom Pedro II – São Paulo

Quando a banda resolveu prosseguir em atividade a partir do momento em que Cazuza caiu fora, pouca gente acreditou que o guitarrista Roberto Frejat seguraria a onda de “frontman”. Não só segurou, como o fez com imensa dignidade e competência. Agora que o próprio Frejat se foi e o saudoso percussionista Peninha anda batucando em paragens celestiais, os talentosos integrantes remanescentes escalaram Rodrigo Suricato como cantor/guitarrista. Não sei, não…

 

LÉO JAIME & LEONI

28 – Tom Brasil – São Paulo

Este show – ironicamente batizado como “Leoni & Leonardo” – traz dois velhos parceiros se reunindo para mostrar canções de seus respectivos repertórios, o que pode ser perfeito para quem é saudosista do chamado “rock dos anos 80”. É outra daquelas apresentações do tipo “vá por sua conta e risco”…

 

HERMETO PASCOAL

29 – SESC Parque Dom Pedro II – São Paulo

Não importa saber o que o grande bruxo sonoro vai tocar. Você tem apenas é que estar preparado para uma experiência sônica que vai fazer o seu cérebro rodopiar dentro da calota craniana. Serão shows absolutamente imperdíveis e imprevisíveis. Ele anunciou que vai mostrar as composições do álbum No Mundo dos Sons, no qual homenageia músicos como Miles Davis e Ron Carter, mas repito: tudo pode acontecer. E para melhor!

 

BIG YOUTH

29 – SESC 24 de Maio – São Paulo

Todas as bandas brasileiras de reggae deveriam cancelar todos os seus compromissos e ‘bater ponto’ nesta apresentação histórica de uma das maiores lendas do gênero em escala interplanetária. Tendo a igualmente lendária banda de Lloyd Parks como apoio e, de quebra, o mitológico baterista Leroy “Horsemouth” Wallace, pouco importa que tudo isso seja um tributo ao cultuado filme Rockers, o “Warriors do reggae”. Não perca isso de forma alguma!

 

QUINTETO VIOLADO

29 – SESC Pinheiros – São Paulo

Um dos mais importantes grupos da história da música brasileira, este aglomerado de talentosos músicos voltou a se reunir para mostrar como era possível criar um som único a partir da mistura de canções nordestinas, folclore nacional e algumas pitadas de rock. É uma boa ocasião para presenciar o resultado de uma pesquisa sonora importante para os dias atuais, principalmente porque o repertório será totalmente calcado em dois álbuns emblemáticos que os caras lançaram nos anos 70: A Missa do Vaqueiro e A Feira. Excelente pedida!

 

HUMBERTO GESSINGER

29 – Teatro Castro Alves – Salvador

Não se engane: os shows da carreira solo do líder do extinto Engenheiros do Hawaii são exatamente uma extensão da carreira de sua ex-banda. A diferença é que ele não se cerca mais de músicos medíocres. As canções são as mesmas. É o mesmo show exibido no DVD Ao Vivo Pra Caramba, mais uma quatro canções inéditas e acústicas. Logo, este show serve apenas para quem já era “convertido” e é desaconselhado para quem nunca suportou as letras “qualquer nota” do cara.

 

ANITTA

29 – Teatro Positivo – Curitiba

Nem preciso externar a minha opinião aqui a respeito das canções desta menina que era muito gostosa e que, sabe-se lá por quê, resolveu fazer plásticas para ficar parecida com a Vanessa Camargo. Todas as músicas são simplesmente horríveis e representam o que há de pior dentro do que poderíamos chamar de “pop brasileiro”. Os fãs retardados é que devem aproveitar e assistir às suas apresentações antes que a carreira dela entre em declínio – o que irá acontecer em breve. Quem avisa, amigo é…

 

MASMORRA e ELECTRIC PEPPER

29 – palco externo do Centro Cultural FIESP – São Paulo
Em evento gratuito, as duas bandas estarão mostrando os seus respectivos sons para quem se interessar em saber como anda o rock nacional independente na capital paulistana. A Masmorra aposta em um hard rock com forte influência oitentista, enquanto que o Electric Pepper pretende unir rock e blues com uma pitada pop. Arrisque…

 

AL DI MEOLA

31 – Auditório Araújo Vianna – Porto Alegre

Como escrevi anteriormente, este show será totalmente acústico, o mesmo que o guitarrista vem apresentando na turnê de lançamento de seu mais recente álbum, Opus. Esteja preparado para momentos de exibicionismo técnico impressionante e melodias marcantes.

 

IZZY GORDON

2/8 – SESC 24 de Maio – São Paulo

Uma das mais criminosamente subestimadas cantoras doas últimas décadas, ela está lançando mais um disco bastante interessante, Pra Vida Inteira, com uma pegada samba/jazz/soul. Não perca, pois você irá se surpreender!

 

JOTA QUEST

2/8 – Tom Brasil – São Paulo

Não há nada mais a dizer a respeito dos shows deste grupo: é o exemplo de como uma banda que poderia fazer um som sensacional se transformou em uma espécie de “Luciano Huck do pop/rock nacional”. É, não tenho mesmo nada mais a escrever a respeito…

 

CHICO BUARQUE
2 a 4/8 – Teatro Guaíra – Curitiba

Há muito tempo afastado dos palcos, o outrora extraordinário compositor voltou a fazer shows com maior frequência para promover Caravanas, um disco surpreendente bom para seus  padrões dos últimos anos. É um espetáculo que vale a pena ser visto pelos ótimos arranjos, sempre uma marca registrada de seu trabalho. A voz de Chico, que nunca foi lá estas coisas, mas que sempre caiu bem dentro de suas composições, continua a mesma, mas a banda que o acompanha é um show à parte. Deixe o preconceito de lado.

 

ERASMO CARLOS

2 e 3/8 – SESC Pompéia – São Paulo

Ao lado de uma competentíssima banda de apoio, Erasmo ainda consegue mostrar porque é o “Tremendão”. Revigorado por conta de seus mais recentes discos, ele ainda exala a velha simpatia e o seu amor incondicional ao rock and roll com um repertório com vários hits e algumas boas canções de sua nova lavra, algumas com uma surpreendente jovialidade – ele está lançando um novo disco, O Amor é Isso.  Pode ir que é diversão na certa