SHAWN MENDES

29 e 30/11 – Allianz Parque – São Paulo

O cantor canadense é mais um daqueles ídolos que povoam o imaginário feminino com canções insípidas, letras com um grau de poesia mais baixo que conversa de banheiro de estádio de futebol e com uma imagem imaculada de “bom moço”. Ou seja, um troço absolutamente asqueroso e próprio para ser consumido por adolescentes que dão ao mundo da produção e do consumo o suporte ideal e inquestionável. Passe longe!

 

“RESENHA BOA” com Thiaguinho, Ferrugem e Dilsinho

29/11 – Audio – São Paulo

Três das piores atrações reunidas em um mesmo evento é quase uma ofensa gratuita da parte de quem zomba de quem ainda usa o cérebro com alguma finalidade. A utilidade desses moços em termos musicais é uma inutilidade: mostrar a verdadeira face da inteligência emocional do mercado consumidor de música no Brasil, cada vez mais dominado pela falta de imaginação e sensibilidade. Prefira ficar em casa…

 

TOQUINHO & IVAN LINS & MPB-4

29/11 – Auditório Araújo Vianna – Porto Alegre

Embora seja um exímio violonista e um cantor até que razoável, já faz muito tempo que Toquinho se acomodou musicalmente, sempre fazendo shows com o mesmíssimo repertório – “Tarde em Itapoã”, “Regra Três”, “Testamento”, “Como Dizia o Poeta”, “Meu Pai Oxalá”, “Que Maravilha”, “Caderno” e, claro, “Aquarela”. E é ainda mais lamentável saber que qualquer esperança de ousadia seja sepultada pelas próprias plateias, que querem sempre ouvir as mesmas coisas. E aqui ele irá se apresentar juntamente com seus amigos Ivan Lins e a turma do MPB-4. Se o seu lance é presenciar encontros de compadres, então vá.

 

LOBÃO

29/11 – Bolshoi Pub – Goiânia

Lobão promete mostrar várias canções inéditas e tocar aqueles velhos hits de sua carreira. Tomara que ele tenha tido o cuidado de massagear sua garganta com mel, pois ele anda desafinando muito nos shows mais recentes. Já a sua banda – agora resumida a apenas um baixista e um baterista – ajuda Lobão a deixar as canções ainda mais pesadas. Se fosse você, eu iria conferir…

 

HAMMOND GROOVES

29/11 – JazznosFundos – São Paulo

Aqui está um exemplo de apresentação que você não pode perder em hipótese alguma. Este trio – capitaneado por Daniel Latorre, um dos maiores experts em órgãos Hammond da América Latina – sempre faz shows espetaculares justamente tendo este lendário instrumento guiando baixo e bateria em levadas instrumentais sensacionais. Para “piorar”, o repertório é lotado de composições de Jimmy Smith, Booker T & The MG’s, Wes Montgomery, John Patton, Dr. Lonnie Smith, George Benson, Jimmy McGriff, Miles Davis, John Coltrane, Medeski, Martin &Wood e mais um monte de coisas bacanas do “jazz boogaloo”. Além disso, preste muita atenção aos sons do primeiro álbum dos caras, Funktastic. Simplesmente imperdível!

 

THE GLADIATORS com DROOP LION

29/11 – Cine Joia – São Paulo

Uma das bandas veteranas mais legais do roots reggae vem ao Brasil mostrar a sua importância dentro da história do gênero. O trio vocal vai completar inacreditáveis 52 anos de carreira fazendo um show repleto de canções maravilhosas e mesmo sem um de seus fundadores, Albert Griffiths – afastado por conta do Mal de Parkinson e substituído por seu filho Al -, tal apresentação é imperdível. Ah, e a formação ainda conta com Droop Lion, sobrinho de um dos fundadores do grupo, David Webber, que vai dar um toque de soul music ao repertório. Não perca!

 

ELZA SOARES

29/11 – Circo Voador – Rio de Janeiro

Assistir a uma apresentação desta outrora grande cantora é testemunhar o quão bizarro pode ser o show business brasileiro. Até concordo que a voz dela é inconfundível. Só que a esta altura do campeonato, isto não significa algo agradável. Pelo contrário. Elza continua exagerando absurdamente em suas cantorias, desafinando horrores e, para piorar, ela vai mostrar algumas canções de seu mais recente álbum, o péssimo Planeta Fome. Vergonha alheia em grau master, principalmente por sempre haver bobalhões “baba ovos” na plateia. Fuja disso!

 

OS INCRÍVEIS

29/11 – SESC do Carmo – São Paulo

Comandado pelo lendário baterista Netinho, a banda que foi um dos ícones da Jovem Guarda nos anos 60 comemora mais de meio século de existência com show em que mostra performances corretas e um monte de hits, como “Era um Garoto que, Como Eu, Amava os Beatles e os Rolling Stones”, a ufanista “Eu Te Amo, Meu Brasil” e a instrumental “O Milionário”. Será um espetáculo bem divertido.

 

RÔMULO FRÓES

29/11 – SESC Vila Mariana – São Paulo

Figura carimbada na cena da música brasileira underground, o cantor/compositor nunca primou pela afinação na hora de colocar sua voz grave em qualquer microfone, o que sempre tornou suas apresentações uma experiência próxima do suplício. Menos mal que ele faça uso de harmonias e melodias fora dos padrões mais convencionais. Dá para arriscar pelo fato de comemorar nessa apresentação o 10º aniversário de lançamento de se álbum No Chão Sem o Chão. Quem sabe ele não passou um pouco de mel nas amígdalas?

 

JANE DUBOC

29/11 – SESC Belenzinho – São Paulo

Ela continua com a bela voz em ótima forma e vai mostrar aqui um repertório calcado em seu álbum homônimo de 1987, o que vai dar ao show um ar classudo. Vale a pena conferir!

 

MASKAVO

29/11 – SESC Belenzinho – São Paulo

Quando lançaram seu disco de estreia em 1995 ainda com o nome Maskavo Roots, a banda de Brasília mostrou um repertório excelente e que poderia mudar – para melhor – a cara do reggae nacional. Pena que nunca mais conseguiram obter a mesma excelência sonora e nem mesmo a diminuição do nome fez com que a banda caísse na vala da mediocridade sonora. Depois de um merecido ostracismo, tentam retomar a carreira com shows em que músicas fraquíssimas dominam o ambiente. Que pena…

 

SÓ PARA CONTRARIAR

29/11 – Km de Vantagens Hall – Belo Horizonte

5/12 – Opinião – Porto Alegre

Voltando às atividades sem ninguém pedir, a banda agora liderada pelo irmão de Alexandre Pires, o pouco carismático Fernando, tenta fazer o mesmo de antes: espalhar alegria artificial por meio de canções ruins e uma vibração tão potente quanto a de uma joaninha morta. É um show ideal para quem não tem discernimento entre o que é samba e pagode xexelento…

 

TIAGO IORC

29/11 – Km de Vantagens Hall – Rio de Janeiro

30/11 – Vivo Rio – Rio de Janeiro

Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz…. Meu Deus, que sono eu sinto só em escrever o nome desse rapaz… Imagine então como é o show… Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz…

 

DIOGO NOGUEIRA

29/11 – concha acústica do Teatro Castro Alves – Salvador

Ele até tenta seguir os passos do pai – o lendário e falecido João Nogueira -, mas além de não ter voz condizente com o gênero, Diogo Nogueira tem carisma zero e faz um tipo de samba que não só passa a anos-luz de distância daquilo que Zeca Pagodinho e Jorge Aragão – estes sim representantes do “resgate do samba de raiz” -, como também soa como um Alexandre Pires mais rústico. Não perca seu tempo.

 

BRUNO & MARRONE + CHITÃOZINHO & XORORÓ

29 e 30/11 – Unimed Hall – São Paulo

É realmente necessário que eu faça algum comentário a respeito destes shows que trarão as duas duplas em cima do palco simultaneamente? Não, né? Então tá… Próximo!

 

CAETANO VELOSO

30/11 – Km de Vantagens Hall – Rio de Janeiro

Em um show chamado de “Ofertório”, ele se apresenta ao lado de seus filhos Moreno, Zeca e Tom. Ainda não tive a oportunidade de assistir a essa “reunião em família”, mas uma apresentação de Caetano Veloso jamais deve ser ignorada. Para o bem e para o mal…

 

SANDÁLIA DE PRATA

30/11 – Blue Note – São Paulo

Sem sacanagem: este é o melhor grupo de samba-rock/soul/MPB em atividade no Brasil. Todos os músicos são excelentes, a cantora Ully Costa tem um timbre belíssimo e o show, totalmente calcado no repertório de Jorge Ben, vai deixar você de queixo caído e com o esqueleto exausto de tanto dançar. Vá sem susto!

 

ARNALDO ANTUNES

30/11 – Cine Joia – São Paulo

Inquieto como sempre, ele retorna aos palcos agora apresentando canções de seu mais recente trabalho, Rstuvxz, e algumas versões, incluindo “Exagerado” (Cazuza) e “Vou Festejar” (Beth Carvalho), ou seja, ele certamente vai entregar algo ‘surpreendente’. Huuum, não sei não…

 

TITÃS

30/11 – Km de Vantagens Hall – Belo Horizonte

Como é? O grupo vai tocar em trio e voltar fazer um show “acústico”? A essa altura dos acontecimentos? Depois de tanto tempo? Putz…

 

ISABELLA TAVIANI

30/11 – Imperator – Rio de Janeiro

Não dá para engolir mais um clone da Ana Carolina, agora em versão “atração de diretório acadêmico de faculdade”. Tão espontâneo quanto um cacto seco, seu som – agora reduzido a voz e violão, em mais uma daquelas presepadas ditas “intimistas” – busca desesperadamente encontrar espaço dentro de um nicho de público que idolatra o engajamento musical dentro do universo da diversidade sexual. Deu para entender o que eu quis dizer, né? É um show indicado para quem curte as canções da Simone, Zélia Duncan, Maria Gadú e da própria Ana Carolina. Bem entendido?

 

MAIARA & MARAISA

30/11 – Tropical Butantã – São Paulo

Somente em um mundo de sentimentos no qual a razão nunca vai tomar posse as canções pavorosas dessas moças têm alguma relevância. Tão carismáticas quanto duas naves espaciais russas, ambas tratam de gritar uma verdadeira chuva de lixo musical em seus shows tendo como cúmplice uma plateia habituada a abacaxis sonoros da pior espécie. Procure nem passar próximo ao local do show para não correr o risco de ter o seu cérebro transformado em um balde de pipoca mofada.

 

MANUCHE

30/11 – Teatro UMC – São Paulo

Capitaneada pelo atual empresário do Sepultura, Tom Gil, e pelo guitarrista Feeu Moucachen, a banda faz um som simpático e despojado dentro da seara do rock and roll. Lançando um segundo álbum, Mantenha Fé, os caras oferecem um show divertido e empolgante para quem gostava da sonoridade pop mais pesada que deu ao mundo o Barão Vermelho, por exemplo. E ainda vão rolar as participações especiais de Andreas Kisser e de seu filho Yohan Kisser, atual integrante do bom grupo Sioux 66. Diversão garantida!

 

“PRUDENCE FEST”

30/11 e 1/12 – Audio – São Paulo

Um evento que reúna Gustavo Mioto, Kevinho, Ludmilla, Gloria Groove, Karol Conká, Fernando & Sorocaba e Tiago Abravanel é um ótimo motivo para ficar em casa. Nem mesmo as presenças da subestimada – e mal orientada musicalmente – Iza e dos Titãs podem salvar as noites.

 

KEANE

1/12 – Espaço das Américas – São Paulo

Funcionando como um quarteto de uns anos para cá, o grupo inglês vem enveredando cada vez mais por shows recheados com canções adocicadas, sempre apoiadas pelo competente piano de Tim Rice-Oxley. Só que como as melodias óbvias e letras não possuem grandes arroubos poéticos, as apresentações acabam se tonando arrastadas. Para quem acompanha o pop britânico, é mais do mesmo.

 

SPECTRUM

1/12 – Fundição Progresso – Rio de Janeiro

Mais um grupelho de kpop formado por garotos com baixíssima taxa de testosterona e com músicas horríveis. Só adolescentes débeis mentais vão se importar com esse troço.

 

DANILO CAYMMI

1/12 – SESC Belenzinho – São Paulo

O multiinstrumentista/cantor/compositor faz delicada e interessante homenagem a seu pai, o lendário Dorival Caymmi, com um show baseado em seu último álbum, Don Don, resgatando várias canções antológicas de seu pai. É daquelas apresentações classudas, mas indicada apenas para quem está nessa mesma vibe baiana.

 

DREAM THEATER

4/12 – CC Ulysses Brasília

Os shows desta banda são a prova definitiva e inequívoca que o tal “metal progressivo” é um dos troços mais chatos, pedantes, egocêntricos e ‘masturbatórios’ das galáxias. Aqui o que vale é tocar músicas com 348 minutos, tocar 2.875 notas por segundo e fazer pose de “monstro técnico” no domínio de seus respectivos instrumentos. O que é exatamente o que a plateia formada por ‘bocós’ quer: testemunhar a prevalência da técnica musical perante a espontaneidade e sensibilidade musical. Para piorar, esse show terá três horas de duração, com a apresentação na íntegra do álbum Scenes From a Memory (1999), mais algumas do recente The Distance Over Time e outras chatices do restante da carreira. Deus do Céu, já sei onde NÃO estarei…

 

ADRIANA CALCANHOTTO

5 Imperator – Rio de Janeiro

Seu novo show reúne um repertório formado por canções pinçadas de seus álbuns que, de certa forma, podem ser chamados de “trilogia marinha”: Maritmo (1998), Maré (2008) e o mais recente, Margem, lançado há pouco tempo. Uma coisa é certa: se tiver mais solta no palco e menos preocupada com sua performance, a cantora pode proporcionar uma experiência bem interessante para a plateia.

 

BOYCE AVENUE

5/12 – Vivo Rio – Rio de Janeiro

O trio americano formado pelos irmãos Alejandro, Daniel e Fabian Manzano faz um dos sons mais irritantemente adocicados da atualidade. Só meninas que sonham com um príncipe encantado enquanto aprendem a se masturbar embaixo do edredom conseguem se emocionar com essa porcaria, que faz o Coldplay soar como o Slayer. Deus me livre indicar esses shows a quem quer que seja!

 

TONY TORNADO

5 – SESC Itaquera – São Paulo

Esqueça o ator de novelas. Para quem não sabe, ele foi um dos maiores nomes da cena black/soul/funk brasileira no início dos anos 70 e retorna agora aos palcos com a voz relativamente intacta, uma ótima banda de apoio e várias canções muito legais, daquelas que você ouve hoje dia, mas não faz ideia que é do repertório dele. Como nesse show ele vai prestar uma tremenda homenagem a Tim Maia, não tem que pestanejar: compre o ingresso e divirta-se a valer!

 

GERALDO AZEVEDO

5 – Blue Note – São Paulo

Um dos grandes e subestimados nomes do que de melhor a música brasileira produziu a partir dos anos 70 vai se apresentar sozinho, acompanhado de seu violão, um banquinho e um microfone. Pela qualidade de seu repertório, sugiro que você não deixe de assistir a este show.