Sim, o título deste texto é propositalmente chulo e totalmente contrário aos padrões feministas politicamente corretos que imperam nos dias atuais. Foi a única maneira que encontrei para definir uma história absurda que foi publicada hoje em um sem número de portais e sites pela internet, evidenciando o que já escrevi e disse em inúmeras ocasiões: todo fã, sem exceção, é um idiota.

Para quem não tem ideia do que está acontecendo, vou explicar: uma sirigaita americana chamada Juliana Berg está processando Billy Idol por não dar as caras no quarto de um hotel em Las Vegas em outubro de 2016 depois de convidá-la para passar a noite com ele!!! Não ria, é sério!

Por incrível que pareça, essa é a ‘alegação’ da tal moça: como o encontro não aconteceu, ela ficou sem lugar para dormir naquela noite, pois não tinha dinheiro para pagar um quarto na ocasião, já que tinha viajado até a cidade só porque Idol prometera que passariam a noite juntos. Segundo a groupie picareta, isso lhe causou um prejuízo financeiro por conta dos gastos com viagem e com o ingresso do show. No processo, ela requer o reembolso do que gastou e mais uma indenização pelos “danos emocionais” que alega ter sofrido com essa presepada.

Olha, já vi muita picaretagem no show business por parte de fãs retardadas e a artistas “sem noção”, mas isso extrapolou qualquer limite da estupidez e da falta de caráter que somos obrigados a conviver diariamente. Fico admirado em saber que algum tribunal americano tenha aceitado levar esse tipo de coisa adiante, mas não fico surpreso pelo fato de algum advogado ter se metido a fazer tal representação a serviço de uma moça absurdamente desonesta. Quando surge uma oportunidade de levantar uns trocados, tem gente que é capaz de vender a mãe em um mercado para se dar bem…

Claro que pensei “o cara deixando a garota dançando com ela mesma”, fazendo um trocadilho infame com “Dancing With Myself”, o maior hit de Idol, mas toda essa história também me levou a pensar seriamente na disseminação total de estupidez que assola o planeta e não apenas o Brasil. Quem trabalha de alguma forma com o show business conhece histórias tão ridículas quanto deprimentes de fãs desmioladas querendo algum tipo de ‘pedaço’ de seu ídolo, o que só aumenta o desprezo dos artistas por esse tipo de idolatria cega. Eu mesmo já vi cada coisa nos bastidores musicais e da TV que me levou seriamente a defender a tese de que algumas pessoas deveriam ser impedidas de se reproduzirem…

É óbvio que essa pilantra americana queria mesmo passar a noite com Idol dando sucessivas trepadas com o astro britânico para depois contar para as amigas, colocar fotos e relatos das ‘bimbadas’ nas redes sociais e obter algum tipo de notoriedade. Isso acontece o tempo todo. Como isso não aconteceu, alguém a convenceu de que um processo cairia bem para a remediar situação. Para esse tipo de gente, não adianta nada o discurso feminista de valorização da mulher em uma sociedade ainda extremamente machista. O que vale mesmo é se dar bem…

O ridículo de toda essa história nos ensina apenas uma triste lição: tome cuidado de quem se aproxima de você. Por trás de qualquer pessoa sorridente que queira tirar uma foto, fazer negócios ou simplesmente gozar de alguns momentos de intimidade e convivência pode estar uma alma estelionatária. Tristes tempos…