Relutei em escrever o que você lerá a seguir, pois não queria bater na mesma tecla de sempre. Só que não quero me sentir omisso. Então, lá vai…

Pseudoartistas agora levam suas mentiras a outros patamares, igualmente deprimentes, crentes que estão usando uma “estratégia de marketing” perfeita para enganar não apenas seus seguidores retardados, mas também para angariar nova manada de débeis mentais em seus perfis nas redes sociais.

Como se já não bastassem milhões de cretinos passam o dia inteiro com seus celulares acompanhando o que quer que seja que seus ídolos postem, de uns tempos para cá aumentaram os factoides envolvendo brigas fajutas de casais que “reatam” semanas depois, casamentos “desfeitos” que são retomados como que por encanto e até mesmo simulações de sequestro! Agora vale qualquer canalhice para promover uma nova “música” – se é que o que essa turma faz pode ser chamado disso – ou qualquer outro produto ou bugiganga. Tudo acompanhando por expressões de canastrice explícita na forma de choros, lamentações, sustos e posteriores tentativas de “redenção”. Tudo de uma baixeza inacreditável. O resultado disso? Milhares e, às vezes, milhões de novos seguidores!

Não tenho a menor sombra de dúvida que a Humanidade caminha em direção a um período de trevas da qual demorará séculos para sair. Mentiras mal contadas são tratadas como verdades por um número cada vez maior de asnos, com a cumplicidade de pseudojornalistas que comandam ou apenas trabalham em nefastas “páginas de celebridades”, seja em um grande portal de comunicação ou em um mísero blog. Vale qualquer coisa na hora de vender lorotas para capturar a atenção de quem tem um pedaço de pão mofado no lugar do cérebro. Vale qualquer atitude calhorda para se vender como ‘influencer’.

Se você tem filhos, fique atento para que eles não se transformem em marionetes nas mãos de gente sem qualquer escrúpulo, cujas atitudes sem um pingo de verdade buscam apenas angariar “zumbis” nas redes sociais. Não subestime as artimanhas dessa cambada de patifes!