Futebol Deve Parar?

Em meio a um turbilhão de nostalgia que de tempos em tempos inunda o cenário musical, eis que ressurge das cinzas o documentário, na verdade um filme, “Let It Be”, agora restaurado e relançado para as massas. Mas antes que o público se entregue a um êxtase cego, é preciso olhar para o passado e analisar com rigor crítico o que realmente esse ressurgimento significa, porque há diferenças abissais em relação aos demais registros definitivos sobre os Beatles, como o “Anthology” e o “Get Back”.

O “Let It Be” foi relançado dias atrás em uma versão remasterizada depois de passar décadas escondido, até mesmo dos olhos dos fãs mais radicais. Tudo o que se via há muito tempo era o clipe da canção “Get Back” tocada naquele famoso show no telhado. Esse filme de 1970, quando revisto hoje, revela diferenças gritantes de fatos e informações quando comparado ao documentário “Get Back”. Isso permite perceber que havia uma vibe e uma abordagem em “Let It Be” que, na época, casou muito bem com o fim da banda, passando uma imagem bem diferente do que realmente aconteceu.

Sabe aquele papo de que uma mesma história pode ser contada de diferentes maneiras e de diferentes ângulos dependendo de quem vê? Pois é, é o que aconteceu com “Let It Be”, e podemos perceber isso hoje. Primeiro, você precisa saber que é primordial entender que o filme “Let It Be” carrega uma carga histórica e emocional que passou muito longe do mero entretenimento na época e, ainda hoje, é um retrato cru e visceral do momento em que os quatro rapazes de Liverpool mostravam as suas fissuras de relacionamento interno, revelando uma humanidade até então obscurecida pela aura da fama.

O filme não se contentou em mostrar apenas o glamour dos Beatles, mas também as discordâncias entre eles, seus atritos internos, o peso do sucesso e da fama, e a iminência do fim. Foi uma narrativa tão dolorosamente honesta para nós naqueles tempos que levou muita gente a chorar quando o fim dos Beatles realmente aconteceu.

Veja o vídeo completo clicando no botão abaixo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress