Globo e a Tragédia Gaúcha

Meu amigo e minha amiga, a grande verdade é que a Globo só mandou o William Bonner, a Patrícia Poeta e as suas respectivas equipes lá pro Rio Grande do Sul depois que a emissora foi massacrada pela falta de sensibilidade. Quem assistiu ao meu vídeo aqui a respeito do espetáculo da Madonna sabe o quanto me incomodou aquela alegria reinante da transmissão, na própria plateia e nos convidados, totalmente discrepante e inadequada ao que acontecia lá no sul do país. Esse atraso da ida ao sul apenas é mais uma constatação clara de como a Globo trata suas prioridades comerciais em detrimento das humanitárias. E não adianta você dizer: ‘Ah, mas a Globo faz o Criança Esperança’. Meu amigo e minha amiga, se eu falar o que acontece realmente com o total arrecadado neste evento, você nem imagina.

Mas enfim, esse tsunami de críticas que a Globo recebeu é absolutamente justo. Mesmo que os telejornais nacionais da emissora tivessem dado espaço pra cobertura dessa tragédia que afeta milhões de pessoas no Rio Grande do Sul, o absurdo que foi visto na cobertura dos dias anteriores ao espetáculo de playback da Madonna, nesses mesmos telejornais, incluindo uma bajulação nojenta de todos os apresentadores, foi um negócio vergonhoso. É isso mesmo: a prioridade da Globo sempre foi botar o jornalismo a serviço do entretenimento da própria Globo, tratando esse espetáculo da Madonna em Copacabana, com muito mais atenção e paixão, vamos dizer assim, do que na hora de demonstrar algum tipo de solidariedade com o povo gaúcho.

Você pode reparar que editorialmente houve uma predominância descarada pelo alto astral no pré, durante e no pós o espetáculo da Madonna, como se o Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul fossem duas realidades paralelas. Foi um absurdo total. Enquanto 1.600 mil pessoas estavam sorridentes na praia de Copacabana, 1 milhão de pessoas estavam sofrendo com as suas casas totalmente submersas, plantações devastadas, animais mortos, perda total de bens, e o pior: mais de 100 mortes e centenas de pessoas desaparecidas.

Eu não estou dizendo que a transmissão do espetáculo de playback da Madonna, uma transmissão que foi negociada e preparada muito tempo antes dessa tragédia das enchentes, tivesse que ser cancelada. Mas era realmente necessário que a Globo demonstrasse mais sensibilidade e empatia em relação à situação dramática que o Rio Grande do Sul estava enfrentando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress