Judas Priest – Este Disco é Completamente… – Invincible Shield

Continuo discordando da crítica autodenominada especializada em metal e de grande parte dos fãs botocudos da banda para quem o último grande álbum do Judas Priest foi o “Painkiller” de 1990. Este disco, que estou mostrando aqui, é uma grande bobagem. Com exceção do estranho e panesco “Jugulator” e do terrível e pretensioso “Nostradamus”, todos os álbuns lançados pelo Judas Priest desde o “Painkiller” têm seus méritos, na verdade, muito mais méritos do que defeitos. Eu não faço comparações com os álbuns anteriores, ouço a obra fechada e penso se caiu bem nos meus ouvidos ou não, simples assim.

Por isso, ouvi o mais recente álbum da banda, “Invincible Shield”, com um sorriso de satisfação, assim como fiz com o álbum anterior, “Firepower”, de 2018. Este novo disco me deixou ainda mais satisfeito, especialmente porque a banda entregou mais um álbum digno, mesmo enfrentando problemas terríveis desde a pandemia, como o incidente do guitarrista Richie Faulkner durante um show.

Além disso, reafirmei minha opinião sobre a importância de ouvir as músicas dentro de um álbum. As canções lançadas pelo Judas Priest para este disco funcionam muito melhor dentro do contexto do álbum do que quando ouvidas isoladamente. Por exemplo, o álbum abre com a faixa “Panic Attack”, que pode deixar o fã ressabiado logo de cara com sua introdução, mas ao longo da música, os riffs de guitarra e as levadas do baterista Scott Travis afastam essa preocupação e mostram a qualidade do álbum.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress