Kiss – Aposto Que Você Não Sabe – Pt. 3

Depois de um certo tempo, trago aqui a terceira parte da história do Kiss dentro do Aposto Que Você Não Sabe. Como eu encerrei a parte dois falando a respeito do álbum Kiss Alive II, que é um disco maravilhoso. Eu trago aqui a terceira parte e vou começar exatamente falando dos álbuns solos lançados simultaneamente no dia 18 de setembro de 1978.

Evidentemente, você já sabe que esses discos foram sugeridos e gravados para aplacar os sérios problemas internos que havia no Kiss, principalmente aqueles causados pelo ex-Frehley e pelo Peter Criss, cada vez mais chapados e desgostosos com o tratamento subalterno que eles alegavam receber na época, antes para tapar buraco no mercado. O Kiss soltou uma coletânea intitulada Double Platinum, que até hoje eu tento encontrar essa edição original americana e não consigo. Uma hora vou encontrar ela.

Essa coletânea trazia as canções com algumas alterações em relação às faixas originais. Tinham novas mixagens, mas evidentemente só os ouvidos mais treinados, mais atentos, conseguiram perceber essas diferenças. Deu “Strutter ’78”, por exemplo, que é uma nova versão que vinha com um solo ligeiramente diferente do Ace e com uma batida que era um pouquinho mais próxima da Disco Music. E isso aconteceu por ordem direta do presidente da gravadora Casablanca, o Neil Bogart, que pensou, na época, que essa nova abordagem seria bem recebida pelo público fora do universo do Kiss.

Obviamente, isso deu errado. As pessoas não prestaram atenção nessa versão e essa coletânea quase deu errado tecnicamente, porque a dupla de técnicos escalada para trabalhar nos áudios, Chandelier e Mike Stone, que inclusive estavam em Londres, na verdade essa dupla não conseguiu trabalhar com as fitas de um quarto de polegada que tinham sido enviadas pra eles pela Casablanca. Então eles tiveram que requisitar as massas originais de duas polegadas pra trabalhar em cima.

A capa, na verdade, não foi impressa em papel alumínio, ela foi impressa em plástico aluminizado. Então ela perdeu um pouco em relevo, mas ganhou em brilho, que era a intenção, né? E os fãs compraram sem pestanejar. Inclusive muitas crianças também começaram a gostar da banda na época por causa dessa coletânea.

Se você quiser saber mais fatos sobre o Kiss, clique no botão abaixo e assista o vídeo completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress