Ainda não consigo entender o que leva alguém a decidir me entrevistar. Não falo aquilo que as pessoas querem ouvir, sou extremamente sincero – e sinceridade é artigo raríssimo nos dias atuais -, não sou fotogênico e não tenho o menor pudor de expor o meu pensamento, sem freio e sem comprometimento com a ‘brodagem’ que rola tanto no meio musical quanto no jornalístico. Mesmo assim, recebo semanalmente pelo menos um pedido de entrevista. Aceito a todos. Sem exceção.

Um exemplo desta minha postura está no vídeo abaixo, em uma entrevista que dei para a molecada do Canal Palhetada lá na lendária Galeria do Rock aqui em São Paulo, no qual respondi a perguntas que visam saciar a curiosidade dos internautas em geral. Mais uma vez, soltei minha tradicional sinceridade a respeito de vários assuntos. Assista e divirta-se. Ou fique indignado. Você é quem sabe…