Música brasileira para melhorar o seu final de semana

Dando prosseguimento à missão de mostrar a você que, ao contrário do que dizem por aí, a música brasileira vem passando por um de seus períodos mais férteis – só que não chega ao rádio, às TVS e as outras grandes mídias -, trago aqui mais alguns exemplos de artistas que você não pode deixar de ouvir.

 

ERNANDO-MOURA-ARY-DIAS-–-Cosme e Damiao

FERNANDO MOURA & ARY DIAS – Cosme Damião

A parceria entre o excelente pianista e o extraordinário percussionista da A Cor do Som rendeu um disco que vai deixar todos os grandes artistas do jazz da atualidade de queixos caídos. Tudo porque a junção dos dois propiciou o surgimento de temas que misturam uma certa beleza dramática em suas melodias a uma esfuziante alegria rítmica. O resultado é um dos mais incríveis discos que a riqueza da música brasileira proporciona em muito tempo:

 

 

 

GUGA-MACHADO-–-Mafagafo Jazz

GUGA MACHADO – Mafagafo Jazz

Ele é outro talentoso percussionista que não tem receio algum em transitar por searas diversas, seja o jazz, a MPB, o samba, o funk e até mesmo aquelas que envolvem elementos eletrônicos. O disco começa como um convite ao experimentalismo em termos de timbres rítmicos, mas logo se torna um sinuoso e desconcertante cardápio musical, envolvendo o ouvinte em uma série de sensações:

 

 

 

JANAINA LIMA  Me Leva com Você

JANAINA LIMA – Me Leva com Você

Em tempos recheados com grupos de pagode medíocres, não deixa de ser salutar ouvir uma nova cantora que, mesmo sem ter um vozeirão histriônico, consegue dar brilho ao estilo com graça e leveza. Com letras simples, mas sem a cretinice que a gente ouve por aí, Janaina não esconde que está fazendo o papel de si mesma em canções simpáticas, com vocalizações sem arroubos de exibição técnica e um gingado malemolente na medida certa:

 

 

 

ESTEBAN  Adiós, Esteban

ESTEBAN – Adiós, Esteban

Sei que pode parecer incrível para quem tem a cabeça e os ouvidos fechados de modo radical, mas ouvir o disco de estreia do projeto capitaneado pelo ex-baixista do Fresno, Fernando Tavares, explica porque ele resolveu cair fora da banda e se lançar em carreira-solo. Canções singelas muito bem arranjadas, melodias legais e letras bem melhores fazem com que este disco seja uma grata surpresa. Ouça o disco na íntegra:

 

Bom final de semana! Abraço e saúde para você, sua família e amigos!

2 respostas

  1. Regis. Bom dia. Tudo bem?

    Eu admiro muito o seu trabalho, suas criticas sao uma bênção em um país que parece que nao existe mais critica cultural. Eu queria saber se voce já pensou em fazer um “Minha opiniao sobre Marina Lima”. Eu confesso que parei de acompanhar a carreira dela quando ela lançou o acustico MTV. Sempre gostei muito dela, mas depois dali percebi que a carreira dela tinha acabado. Nao é propriamente por causa da voz dela, mas eu tenho a clara sensacao que ela secou como artista, isso desde o final dos anos 1990. Porém, nessa quarentena, eu resolvi ouvir toda a discografia dela, e fiquei muito constrangido ao ouvir os ultimos dois albuns de estudio dela. Nao sei como uma artista que teve a capacidade de fazer boas musicas na decada de 80 e inicio dos 90, tenha se convertido em algo tao ruim, mas tao ruim.

    Queria um dia saber sua opiniao sobre ela. Se possivel, por favor, um dia faça um minha opiniao sobre ela.

    Um abraço, saudaçoes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress