Paul Mccartney – Quase se Perdeu…

Neste artigo, vou dar a minha opinião sobre uma fase da carreira de Paul McCartney que é frequentemente esquecida: o início de sua carreira solo e os álbuns com o Wings, a banda que ele formou. Preste atenção, meu amigo e minha amiga.

Recentemente, estava conversando com um grupo de amigos e fiquei surpreso com o quanto as pessoas desconhecem uma das melhores fases da carreira de Paul McCartney, quando ele começou sua carreira solo e formou o Wings. As pessoas se lembram das músicas, mas não dos discos. Neste artigo, vou falar sobre isso e tenho certeza de que você ficará realmente surpreso com algumas coisas que vou contar.

Primeiro, é preciso contextualizar para que você possa entender exatamente o que vou dizer aqui. Imagine-se na seguinte situação: você é o membro mais adorado dos Beatles, a banda mais importante e de maior sucesso mundial de todos os tempos. Você se tornou milionário aos vinte e oito anos. Então, a banda acaba no topo, no auge. E aí você se pergunta: o que fazer depois disso? Depois de ter conquistado absolutamente tudo na vida, qual será o próximo desafio que o manterá estimulado, vivo, trabalhando e produzindo?
Espero sinceramente que você tenha sensibilidade suficiente ao assistir a este vídeo para compreender esse dilema e não soltar aquele velho papo de que vai viajar pelo mundo, curtir a família, porque esse papo é bom apenas por um certo tempo. Depois surgem as incertezas sobre como se manter motivado.

Isso é exatamente o que aconteceu com Paul McCartney. Outra questão que ele enfrentou na época foi como trabalhar sozinho depois de passar tanto tempo trabalhando em uma banda. Ele ficou pensando: como farei isso depois de passar pelo lento processo de finalização dos Beatles em todos os aspectos, inclusive jurídicos, que foi extremamente doloroso para ele?

É importante mencionar que seus antigos amigos seguiram em frente e lançaram discos sem ele. Por exemplo, Ringo Starr lançou dois álbuns ao mesmo tempo em 1970: “Sentimental Journey” e “Beaucoups of Blues”. George Harrison, por sua vez, lançou o aclamado e antológico “All Things Must Pass”, que foi um sucesso arrasador. John Lennon, imerso em sua própria loucura e em sua maneira peculiar de enxergar o mundo, também lançou seu trabalho solo.

Para saber como foi o início da carreira solo do Paul McCartney, clique no botão abaixo e assista o vídeo completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress