Ricky Gervais, Porta dos Fundos e liberdade de expressão

gervais

Meu irmão Ronaldo Martins enviou mais um texto interessante e que certamente vai fazer com que você pare para pensar. Se vai concordar ou não, aí é outra história. Agora é com contigo…

Chega a ser hilário acompanhar as manifestações de apoio a Ricky Gervais nas redes sociais. Uma enorme quantidade de pessoas do polo político mais à direita ovacionando-o, elevando-o ao status de ídolo pela achincalhada monstruosa contra a elite artística de Hollywood. A decepção dessas pessoas ao se aprofundar no trabalho dele deve ter sido imensa.

Recentemente, foi anunciado que a tour mundial de seu novo standup teve venda antecipada de três milhões de ingressos, o que garantiu a ele um contrato de 40 milhões de dólares com a Netflix pela exclusividade da exibição do mesmo. A reação dele diz muita coisa: “Os melhores fãs do mundo. Um enorme obrigado a todos que compraram seus ingressos. A vida é difícil para a maioria das pessoas e apesar de me lembrar bem como isso era, hoje tenho uma existência fácil e privilegiada. É por isso que não dou sermão a respeito do mundo real ou em quem votar.” Quem souber ler nas entrelinhas vai entender que a inclinação dele é para o lado oposto dos seus recentes admiradores. E é justamente aí que Ricky se diferencia da maioria dos comediantes, especialmente no Brasil.

Uma das piadas que passaram despercebidas aos brasileiros na mais recente edição do Globo de Ouro, talvez por falta de referência, foi com o suicídio do bilionário Jeff Epstein, condenado por abuso sexual e tráfico de menores. A piada causou mal estar, já que Epstein era amigo de vários figurões ali presentes. Outros amigos famosos de Epstein eram Donald Trump e Bill Clinton. Em outro momento, ele fez troça da exigência por representatividade, dizendo que não deixou que passassem o famoso memorial em homenagem aos falecidos naquele ano pois a lista de pessoas “não era diversa o suficiente, havia brancos demais” e “quem sabe ano que vem, dependendo de como as coisas fossem”, ele deixaria a homenagem ser feita. Consegue imaginar uma piada dessas feita por aqui?

Quase no mesmo fôlego, ele acusou todos de fazerem vista grossa às grotescas atitudes de assédio sexual de Harvey Weinstein que, finalmente, foi preso em 2018 – porém, solto sob fiança – e caiu em desgraça.

Ricky não poupa ninguém. Ele faz piadas com tudo e com todos, sem distinção: homens, mulheres, gays, transexuais, minorias, maiorias e até religião, mesmo sendo ateu confesso. E é aí que entra a hipocrisia do Porta dos Fundos…

Liberdade de expressão é liberdade de expressão. Ponto final. Ou você pode fazer piada com tudo ou não pode fazer com nada. O grupo de comédia sofreu censura apoiada por eles mesmos quando a corda arrebentava apenas “do outro lado”. No caso da condenação do comediante Danilo Gentili por fazer troça da deputada Maria do Rosário, alguns membros do Porta e outros comediantes militantes foram veladamente partidários da “ofendida”. Acabaram sentindo na própria pele o quão relativa é a essa tal liberdade no Brasil.

Aquela frase atribuída a um milhão de pessoas faz sentido: “Posso não concordar com suas palavras, mas defenderei até a morte seu direito de dizê-las.” Gervais não escolhe alvos, não usa humor como militância política. Se estivesse no Brasil, já teria há tempos feito troça do assassinato daquela deputada – é melhor nem citar o nome porque não quero encrenca – e, provavelmente, seria condenado por isso. O Porta nem sempre age assim.

O humor não pode ter limites. A piada é uma das mais duras críticas possíveis de se fazer. Não gosta de determinado tipo de humor? Simplesmente não dê atenção, não ria. O limite do humor é a risada. Se ninguém rir, cadê a graça?

26 respostas

  1. Liberdade precisa de limites. Ponto final. E
    colocar no mesmo balaio uma piada direcionada à Maria do Rosário,-comunista hipócrita e corrupta- e uma piada direcionada a Jesus Cristo, verdadeiro Deus, Verdadeiro Homem, Salvador do mundo, Rei dos reis, é de uma cretinice absurda.

    1. A hipocrisia desse bando de manés chega a níveis alarmantes! kkkk ”Pedem respeito a todos os pensamento e todas as religiões”, mas na primeira oportunidade criticam um cristão. (Não frequento religião, nem igreja alguma). A ”sorte” do Brasil não ter se tornado uma Venezuela falida, ou ‘Cubão’ é que essa gente é muito fraca de raciocínio, incompetente. ”Graças a Deus”!…HEHEHE

  2. Um ótimo texto do seu irmão, Régis (sempre pensei que vc fosse filho único), concordo inteiramente com ele!!!!
    E o que vc achou do texto do Anderson França que reclama da falta de engajamento político dos artistas popularescos do Brasil, que tem alguma semelhança com o seu vídeo sobre as feminejas?
    Abraços

  3. Exatamente. Eu não gosto de alguns membros do Porta dos Fundos, principalmente pela militância política feita, mas achei um absurdo sem tamanho a censura e a ordem de retirada da paródia da Netflix (posteriormente derrubada – corretamente – pelo Min, Dias Toffoli). Se a piada fosse com Karl Marx, será que os ditos “conservadores” teriam agido da mesma forma? O mais absurdo é que estamos diante de um programa exibido em uma plataforma paga, onde o assinante ESCOLHE o que quer ver, e a plataforma ainda se “amolda” às preferências do consumidor com base nas escolhas dele. Ou seja, era só ignorar o conteúdo e fim. Se for pelo raciocínio de “ofensa à religião alheia”, o que dizer dos programas evangélicos exibidos em horário nobre, em canais ABERTOS, nos quais comumemente os pastores atacam as religiões de matriz africana, como a Umbanda e o Candomblé. Aí pode? Mas até nisso, há a escolha em tirar do canal, se você não for evangélico e/ou não pactuar com os ataques à crença alheia. Hoje temos extremistas tanto na esquerda como na direita, que não possuem um mínimo de filtro sobre qual assunto ele deve se insurgir ou não. É intolerância para tudo quanto é lado. Enfim, detesto o humor praticado pelo Porta dos Fundos e considerado alguns de seus humoristas uns idiotas. Ainda, acho que é uma piada gasta taxar Jesus como gay, mas ainda assim se eles entendem que isso é engraçado ok. Eu não assisti e fim. O Fla x Flu impera.

    1. Não dá pra comparar o viciado Marx com Cristo. Se você aloprar as viagens de Marx, nem eles se importam. Sabem como é. Agora tal Porta dos fundos é tosco, consegue ser pior e menos engraçado que Hermes & Renato da antiga MTV Brasil. Apesar da constituição dizer que deve haver respeito entre as ‘crenças’ sou contra o Ban, que acabou servindo de marketing para os caras. A molecada baixa via torrent por curiosidade! Sou contra censura só que neste caso é banimento, já que o programa havia ido ao ar antes.

  4. Que texto nada a ver, cheio de inferências e “jogadas pra plateia”, juro que tive vontade de rir várias vezes da ingenuidade do autor

    “alguns membros do Porta…”

    “Alguns membros” QUEM?????????

    Outra; diferente do danilo gentinha, a condenação ao Porta dos Fundos caiu mais rápido que Futummy nos charts, foi tão rápida a censura que nem deu tempo deles “sentirem na pele” alguma coisa, a única coisa q deu tempo do Porta dos fundos sentir foi o dinheiro entrando na conta graças a propaganda gratuita

    “Ele faz piadas com tudo e com todos, sem distinção” – jura? Traz o nobel de comédia pra ele, q cara sensacional, ele faz piada com tudo e tudos, RADICAL

    É, mas se eu não me engano, o “range” do Porta dos Fundos tb costuma ser bem amplo, mmmm infelizmente não poderemos dizer que “unlimited humor” é uma exclusividade do nosso mestre

    “Gervais não escolhe alvos” – escolhe sim; “não usa humor como militância política” – E???

    “já teria há tempos feito troça do assassinato daquela deputada” – q demais, só o meu ricky gervais mesmo pra ser capaz de fazer uma troça fenomenal sobre esse assunto, eu anseio por isso todos os dias

    “é melhor nem citar o nome porque não quero encrenca” :( :( :( e agora? Como vou saber a quem vc se refere? esse mistério me tortura todas as noites, por isso rezo para q algum dia vc ganhe ousadia suficiente pra relevar nome tal

    “e, provavelmente, seria condenado por isso” :( :( :( :( :( :(

    “O limite do humor é a risada. Se ninguém rir, cadê a graça?” – Mmmm, não sei se eu concordo muito com isso, afinal, sempre vai ter um animal pra rir de qualquer piada ruim q seja feita, q é o meu caso aqui, olha só, eu tô rindo nesse exato momento dessas suas “piadas” de asilo hahaha – o que significa que esse “limite” dado ao humor nunca será alcançado

    A questão é a se a piada causa mais riso do que rejeição (e vice-versa), no caso do autor creio q tenha provocado mais o segundo caso

    Anyway, fortes ironias à parte

    Crítica rasíssima e superficial

    1. Oi Adriele! Muito obrigado pela sua opinião. Com cada crítica e comentário aprendo pra melhorar no próximo, principalmente as críticas. Forte abraço!

    2. Adrielle, razíssima e não rasíssima, pois com o diminutivo aprendi no ginásio que colocamos o z.
      Seu texto, extremamente mau humorado, só me mostra que a capacidade que temos para sorrir é cada vez menor diante de tanto desgosto acumulando e aquele que diz ter com o texto de Regis não sinto ser nada sincero de sua parte. Só me mostra revolta, antipatia, soberba.

        1. A palavra que dá o sentido correto com o texto da autora é raso e não raro, o que seria bastante elogioso, o que não é o caso. Professor deve ser você!

  5. Régis, fora do tópico deste post, mas só para elogiar o vídeo do Secos e Molhados no seu canal do YT. Foi uma ótima contextualização e sugiro que analise a possibilidade de transcrever parte do seu conhecimento em uma biografia dos artistas nacionais que resenha, pois a qualidade é acima de média mesmo.

    Por sinal, quando fui para Sampa assistir ao show do David Gilmour o Ney sentou exatamente na cadeira do meu lado.

  6. Existe uma diferença muito importante entre os dois casos (Porta dos Fundos e Danilo Gentili). O Porta dos Fundos fez piada com uma ideia, uma crença, uma figura histórica. O Danilo Gentili fez piada com uma pessoa contemporânea. Não se difama ou se ofende uma ideia. Ideias (e crenças por extensão) devem poder ser submetidas a qualquer tipo de sátira, escrutínio ou até mesmo ofensa. Pessoas, de jeito nenhum.

  7. Dá pra ver nitidamente como a maioria dos comentários, são de pessoas egoísta e que segue cartilha partidária.
    Enquanto a me, viva a liberdade do Danilo Gentili e do Porta dos Fundos.

  8. Bom dia, Regis e Ronaldo (se estiver lendo),

    Concordo com o texto, o Brasil vive atualmente uma onda insuportável de politicamente correto hipócrita e indignação seletiva. Tenho para mim que muitas piadas do Porta dos Fundos podem até ser inadequadas ou simplesmente sem graça mesmo (a maioria), mas devemos sempre nos lembrar que vivemos mais de duas décadas de uma censura e autoritarismo muito escrotos. Querer reviver essa época é de uma estupidez atroz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress