Slipknot – Novo Disco – The End, So Far

Meu amigo e minha amiga…

Muita gente mandou mensagem pedindo a minha opinião a respeito do mais recente álbum do Slipknot, The End, So Far, que foi lançado dias atrás.

Esse álbum ia se chamar The End, For Now e mudaram o título de última hora. Ele na verdade é um disco que traz uma sonoridade um pouco diferente se comparamos com os discos anteriores. Tem a estreia no disco de um percussionista novo, que é o Michael Pfaff, que foi indicado pelo outro percussionista da banda Shawn “Clown” Crahan, porque os dois tocaram juntos no projeto paralelo do Crahan, o Dirty Little Rabbits. Esse percussionista novo toca teclado, mas aí como ele entrou no lugar do Chris Fehn, que saiu, ou melhor, foi despedido em 2019 depois que ele processou a banda.

O disco é de uma certa forma um pouco surpreendente e vai também deixar os fãs mais radicais do Slipknot meio puto da vida. Primeiro, porque o disco ele começa com uma intro sinistra de uma faixa que chama-se Adderall, e daí tem uma faixa que tem uma levada mais cadenciada e tem os vocais limpos do Corey Taylor, o que certamente vai causar esse susto muito grande no fã que é mais radical, que é mais cabeça fechado, ainda mais porque essa música tem uns backing vocals meio angelicais. Para você ter uma ideia da diferença em relação aos discos anteriores, logo na abertura o Slipknot mostra uma faixa que poderia por exemplo de estar em qualquer álbum do Ghost, só que é uma belíssima canção e é um sinal logo de cara de que banda quer realmente e se livrar daquela aura de radicalismo sônico pesadíssimo que sempre os cercaram.

Se você quiser saber a minha opinião completa a respeito do novo álbum do Slipknot, The End, So Far, clique no botão abaixo para assistir ao vídeo completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress