Taylor Swift e as Perguntas Que Não Querem Calar

Ainda hoje, um assunto que continua chamando a atenção, especialmente das fãs da Taylor Swift, é o quase absoluto silêncio em relação à morte de uma fã no show da última sexta-feira retrasada no Rio de Janeiro. Muitas pessoas estão acusando a cantora de insensibilidade, o que é particularmente impactante, considerando a imagem que Taylor Swift sempre se esforçou para transmitir: a de uma artista sensível, preocupada com suas fãs, com uma postura tranquila e animada, transformando essa imagem em sua marca pessoal.

Entretanto, meu pensamento difere significativamente dessa percepção comum, e vou tentar explicar claramente por quê. Conhecendo os meandros do business, tenho embasamento suficiente para expor meu pensamento. Não há dúvida de que, assim que a confirmação da morte da fã chegou aos ouvidos da produção, empresários e até mesmo da própria Taylor Swift, todos se reuniram para construir um cenário jurídico que evitasse um possível processo decorrente dessa tragédia ocorrida durante o show.

Você já ouviu falar em um termo chamado “comitê de crise”? Foi exatamente isso que ocorreu na equipe de Taylor Swift. Pergunto a você, meu amigo e minha amiga, por que tantos relatos afirmam que a fã foi submetida a ações de reanimação por 40 minutos no posto médico do estádio? Em eventos dessa magnitude, não deveriam os postos médicos contar com desfibriladores e uma estrutura para oferecer suporte médico adequado em emergências? Onde estavam os equipamentos adequados nos postos médicos? Por que não havia uma ambulância pronta para levar a moça imediatamente ao hospital, considerando que uma parada cardíaca foi constatada?

Caso o óbito fosse declarado no local, o show teria que ser interrompido? Reflita sobre isso. Quanto à declaração feita por Taylor Swift nas redes sociais, você percebeu que a primeira versão destacou que a moça passou mal antes do início do show, sendo retirada do estádio antes da apresentação da cantora, e faleceu no hospital. Fico aqui ponderando se tudo isso foi orquestrado para evitar possíveis repercussões negativas. Essas são perguntas que merecem ser consideradas ao analisarmos esse trágico acontecimento.

Se você quer entender mais a fundo minha perspectiva sobre esse assunto, clique no botão abaixo e assista ao vídeo completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress