Taylor Swift – Está Saindo do Controle

Meu amigo e minha amiga, devido à minha idade de 63 anos, já vivenciei muitas e diferentes ondas de fanatismo. Quando eu era criança, por exemplo, no auge da Beatlemania nos anos 60, eu não vivi aquilo com a intensidade de quem já era adolescente naquela época, mas depois li muito a respeito disso. Pesquisei quando me tornei um adulto porque sempre tive uma natural curiosidade em saber e entender as coisas. No caso específico da Beatlemania, aquele altíssimo grau de histeria em escala mundial que os Beatles obtiveram na carreira deles foi muito curto. Aqui no Brasil, por exemplo, presenciei algo em escalas infinitamente menores, mas não menos barulhentas, como os fãs de Menudo, RPM e, mais recentemente, a febre do BTS que aconteceu lá fora.

Talvez apenas Elvis Presley e Michael Jackson tenham chegado perto do nível de histeria que aconteceu com os Beatles, mas hoje estou surpreso com o que está acontecendo com Taylor Swift. Ela é o maior fenômeno da história da indústria musical, superando até mesmo Beyoncé em termos de idolatria histérica, envolvendo fãs de todas as idades. Recentemente, li uma entrevista com o sensacional cantor, pianista e compositor Billy Joel, no qual ele afirmou, baseado em décadas de vivência no show business, que Taylor Swift conquistou um impacto global que ele só consegue comparar ao sucesso dos Beatles nos anos 60 nos Estados Unidos.

O sucesso da turnê da Taylor Swift, a “Reputation Stadium Tour,” lotando estádios, quebrando recordes e causando ondas de histeria coletiva, é comparável, guardadas as devidas proporções de contexto temporal, ao que aconteceu na Beatlemania. No entanto, é importante contextualizar qualquer comparação entre esses dois fenômenos, considerando que na década de 60 a internet era algo inimaginável naquela época. Agora, Taylor Swift é acompanhada por uma Taylormania, um frenesi que envolve sua popularidade astronômica em todas as idades. Isso nos mostra como a música e os ídolos podem criar verdadeiros movimentos culturais e emocionais, independentemente do tempo em que ocorrem.

Para saber mais sobre minha análise completa sobre a Taylor Swift e o fenômeno da Taylor Mania, clique no botão abaixo e assista ao vídeo completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress