Virginia Fonseca – Para Que Serve?

Dentro desta série campeã de audiência em meu canal, um dos nomes mais pedidos para que eu inclua na série “Para Que Serve” é o de Virgínia Fonseca, uma das influenciadoras digitais mais seguidas no Brasil, com dezenas de milhões de seguidores.

O que tenho a dizer a respeito dela é algo muito simples: Virgínia Fonseca personifica o pior significado que o termo “influenciadora digital” pode ter atualmente. Nada exemplifica melhor o estado de emburrecimento coletivo que vivemos no Brasil hoje do que alguém sem qualquer talento para qualquer coisa se tornar a pessoa mais seguida nas redes sociais, fora dos segmentos esportivos e artísticos. Quem acompanha a vida dessa moça como se fosse uma série só pode ter azeite vencido no lugar do cérebro. E é exatamente essa legião de fãs que faz com que Virgínia tenha um cofre muito polpudo e seja considerada uma empresária milionária. São dezenas de milhões de pessoas acompanhando a rotina de Virgínia, uma rotina completamente desinteressante, pelo menos para quem tem um mínimo de capacidade cerebral.

O desespero dela por likes é algo que ultrapassa as raias do constrangedor, isso é inegável. O fato de Virgínia ter montado sua própria agência de marketing digital leva-a a enviar notas para a imprensa a cada meia hora, e os portais de comunicação e sites de fofoca que estão sempre de joelhos e obedientes a quem tem muito dinheiro republicam essas notas, como se fosse jornalismo. Isso é algo absolutamente abominável e asqueroso, que faria as almas dos grandes jornalistas do passado uivar em desespero.

Ela pode ser considerada hoje como uma espécie de Kim Kardashian brasileira, porque é seguida por milhões sem oferecer qualquer coisa significativa, além de futilidades e produtos femininos. Tanto é que ela é sócia de duas empresas, uma de procedimentos estéticos e outra de cosméticos.

Para eu fazer este vídeo, tentei assistir a um dos episódios de seu podcast, mas a atuação dela como apresentadora e entrevistadora é tão cômica e constrangedora que só consegui aguentar uns 15 minutos.

Segundo minhas averiguações, Virgínia começou a publicar vídeos no YouTube em 2016, quando tinha 17 anos, e desde então, o número de seguidores dela só aumentou. Ela soube capitalizar desde o início o relacionamento que teve com RezendeEvil, que na época era um dos YouTubers mais lucrativos no Brasil, e obviamente capitalizou isso para adquirir ainda mais visibilidade para ela mesma.

Para saber a minha opinião completa a respeito do Para Que Serve a Virgínia Fonseca, clique no botão abaixo e assista o vídeo completo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress